Jacques CamattePorque é tempo de o ler.

A obra de Jacques Camatte é cercada por uma autêntica conspiração do silêncio.

É preciso dizer que, ao contrário de tantos outros teóricos revolucionários, ele não traiu, não se rendeu, não buscou reconhecimento público.

Vindo de um marxismo heterodoxo, ele seguiu imperturbável seu caminho intransigente até hoje.

Mas o mais imperdoável - como você verá ao ler os poucos textos cardeais que publicamos neste volume - é, sem dúvida, que ele descreveu com precisão, quase cinquenta anos atrás, o curso histórico fatal em que o capital e a civilização estavam arrastando a espécie humana.

Há cinquenta anos viu a constituição da sociedade tecnológica em um monstruoso aparato que aprisionava o planeta, devastava toda a natureza, mediatizava todas as relações e a necessidade vital de abandonar tal mundo.

Ele viu o vazio das subjetividades contemporâneas, a ansiedade que as impulsiona e a aspiração generalizada a uma verdadeira comunidade humana.

É preciso ler Jacques Camatte, porque entender o processo histórico é uma das raras maneiras de não ficarmos tão loucos quanto os tempos que estamos passando.

(Do título do livro Errance de l'humanité, de Jacques Camatte, Éditions la Tempête, Bordeaux 2021.)